Dicas Uneworld

Dica de viagem frica

05/05 – Sai de Porto Alegre com a maior expectativa de conhecer a África do Sul. Esta viagem foi uma das tantas que apareceu na minha vida. Sempre pensei em conhecer este destino, mas nunca tinha dado a oportunidade.

Cheguei a São Paulo para pegar o voo da South África (na terminal novo) com destino a Johanesburgo. São 8 horas de voo. Tudo correu ótimo sem turbulência ou qualquer contra tempo.

06/05 – Cheguei em Joanesburgo e do avião avistei uma cidade ampla, sem quase edifícios altos e na grande Johanesburgo várias fabricas e é onde fica o aeroporto. O aeroporto é moderno com uma ótima infraestrutura, foi muito rápido fazer a migração e pegar as malas. No aeroporto mesmo fiz câmbio. Minha primeira impressão: Que gente simpática e alegre. Meu dia era longo pois cheguei em Johanesburgo e 03 horas depois já estava embarcando para Sakazuca onde inicia a minha aventura pela Reserva Sabi Sand. O voo foi super tranquilo e com umas vistas maravilhosas. Viajei em um avião pequeno para 30 pessoas mas com todo o conforte, com serviço de bordo etc. Uma hora depois de decolar já estava chegando ao aeroporto de Sakazuca. Quando desci me deparei com um lugar surpreendente que apesar de pequeno é muito bem ambientado (decorado com muito bom gosto). Já senti o que vinha pela frente, muito charme, estilo e sofisticação. Quinze minutos depois já estava chegando ao Beyond Kirkman’s Kamp minha impressão estava certa, charme e sofisticação vão estar nesta aventura. Este Kamp é todo ambientado em estilo inglês da década de XX. São 18 suítes muito charmosas, amplas com ar condicionado e calefação. O banheiro lembra um filme antigo, mas com todas as modernidades e estrutura necessária. As aéreas comuns fazem a gente se sentir em casa. A equipe que trabalha no Kamp faz questão de se apresentar, e se colocam a nossa disposição e o mais legal é que nos chamam sempre pelo nome. A simpatia esta sempre presente. O que é característica desse povo: simpatia, o sorriso e o querer de servir.

Após tomar um banho fui almoçar no terraço do Kamp em uma mesa que fica em baixo de uma árvore com uma vista maravilhosa da Savana. A refeição excelente. Após sai para fazer meu primeiro Safari em um jipe Land Rover muito confortável. Nem preciso dizer que foi maravilhosa. No 1º dia de Safari vi um Leopardo (que um dos big five) maravilhoso e o mais impressionante super a vontade com a nossa presença. Chegamos muito perto dos animais. Muito mais perto do que pensei e até mais perto do que chegamos em um zoológico. O importante é nunca se levantar do jipe, fazer movimentos bruscos e o mais importante nunca descer do jipe. Foi uma tarde maravilhosa. Voltei para o Kamp no final da tarde. Na recepção do hotel fica parte do staff a nossa espera para dar as boas vindas e ver como foi o Safari. Fomos levados para o bar onde havia a nossa espera drinks e alguns snacks típicos muito gostosos. Este momento é muito legal, pois se reúnem todos os hospedados (americanos e europeus) e cada um fala do que viu na tarde. Passamos para um jantar divertido e muito saboroso. É como se fosse o nosso churrasco porém com carnes grelhadas diferentes como: barriga de porco, javali, etc. Depois da janta fui direto para cama pois o dia foi longo mas super gostoso e amanhã as 5h30 tem mais aventuras.

07/05 – Acordei bem cedinho e nos encontramos no lobby do hotel para fazer o nosso Safari matinal. Subimos no jipe e fomos ao encontro dos tão esperados animais. Estávamos seguindo uma trilha quando nosso guia viu pegadas de leão. Automaticamente começamos a seguir as pegadas. Depois de mais ou menos 15 minutos encontramos um casal de leões. Que emoção ver eles tão de perto. Chega a dar medo. Mas são muito lindos. Só estando aqui para sentir essa adrenalina e emoção. Ficamos mais de 20 minutos seguindo eles pelas trilhas e pela savana. Deixamos os leões para trás e logo em seguida avistamos uma girafa linda, em seguidas, elefantes e um grupo de zebras. Por volta da 8h30 paramos para tomar café da manha completo (bacon, salsicha e omelete feitos na hora além de frutas, iogurte e granola) em um acampamento montado as margens do rio especialmente para nosso grupo. Mais uma vez é possível sentir a preocupação que eles tem em nos receber e fazer de nossa viagem uma experiência prazerosa e inesquecível. Acabando o café saímos para dar mais uma volta e por volta da 11h voltamos ao hotel para descansar almoçar e a tarde fazer mais um Safari.

A comida me chama muito atenção, pois se utilizam de muitos vegetais, e temperos indianos como o curry e são bem apimentados na medida certa.

À tarde saímos para fazer mais um safari, mas este foi com muita adrenalina.  Já nos primeiros minutos avistamos uma manada de elefante na beira do rio. Mais de 50 animais de várias idades. Impressionante ver o barulho que a manada faz enquanto se alimenta. Os bebes elefantes são super fofos e como todo o bebe que esta começando a andar é desengonçado, mas encantador. Depois fomos direto para a piscina dos hipopótamos onde é possível ver mais de 20 animais aproveitando seu banho. Este animal fica na água durante o dia, pois a sua pele não pode pegar sol e sai para se alimentar a noite. É considerado o animal mais perigoso. Mas vendo eles assim tão tranquilos e difícil de acreditar.

De repente nosso guia recebe um chamado no rádio (os guias se comunicam por rádio e vão passando as informações de onde estação os animais) que havia um leopardo caçando. Rapidamente saímos em busca deste maravilhoso animal e foi muito emocionalmente pois estávamos seguindo ele pela mata quando chegaram duas hienas bem próximas ao nosso jipe. E o leopardo que estava a 500m do Jipe deu um pulo em um rugido que deixou a todos do grupo com medo. Foi um momento de muita adrenalina. Nós o leopardo e as hienas no meio na mata. Na volta para o kamp já estava noite e quando fomos surpreendidos por mais um leopardo. Em seguida com lanternas saímos da estrada e entramos na mata para ver mais de perto este animal. Não tem como explicar a sensação. Tem que estar aqui para viver e sentir o que estes animais fazem com as nossas emoções.

Chegamos no kamp e claro fomos todos para o loby tomar drink contar as histórias e vivencias do dia. Jantamos um refeição muito gostosa na varanda com as estrelas a luz de lampiões. Não é necessário dizer que após tanta adrenalina e um jantar maravilhoso regado a vinho sul africano e coquetel de Amarula fui dormir feliz.

08/05 – Mais um amanhecer espetacular em Sabi Sand, esta reserva privada que fica junto ao parque Kruger, onde esta localizado o lodge Kirkman’s Kamp onde me hospedei. Maravilhoso!

Hoje é dia de dizer adeus, mas antes não podia deixar de fazer meu último safari (o último desta viagem, pois com certeza voltarei).

Como de costume saímos bem cedinho para este Game, como é chamado Safari por aqui. E para minha sorte consegui ver cinco cães selvagens, o que é meio raro de se avistar, pois estão quase em extinção. 

Na volta do Game fechei a mala e fui pegar os transferes para o aeroporto. Na saída toda a equipe do hotel estava a minha espera para se despedirem. O que mostra o quanto acolhedor é este povo. Que apesar de ter passado por tantos momentos difíceis e ter a miséria como sombra, te acolhe te sorri e é feliz.

Do logde ao aeroporto de Nelspruit foram 2h passando por paisagens lindas. O aeroporto é pequeno mas super funcional.

Em 1 hora de voo estava em Durban onde meu destino era focado na participação da maior feira a África INDABA.

09,10 e 11/05 – Durante esses dias participei da feira INDABA, onde pude conhecer muito sobre vários destinos da África como, ZIMBABWE, ANGOLA, BOTSWANA, MOÇAMBIQUE, NAMÍBIA, TANZÂNIA, MADAGASCAR, ETC. A feira chama a atenção pela organização e a presença muito forte de expositores dos mais diversos segmentos do nosso mercado como: hotéis, lodges, reservas, passeios de balão, trens (pude conhecer o famoso e maravilhosos trens Rovos Rail e o Blue Train) além de muitos operadores locais assim como secretarias e bureau de turismo.

Não deu muito para conhecer Durban, mas pelo pouco que conheci me parecer uma cidade interessante, com uma boa hotelaria, que tem o mar como seu forte aliado, pois a água e quente é uma cidade que não faz frio, tem muitos bons restaurantes. O surf tem um papel muito importante. É uma cidade de veraneio para muitos africanos.

 

12/05 – Acordei bem cedinho para pegar meu voo para o último stop desta minha viagem maravilhosa: CAPE TOWN ou CIDADE DO CABO como também é conhecida. Sempre tinha ouvido e lido muitos comentários positivos sobre esta cidade, mas a verdade é que superou em muito minha expectativa. A cidade é linda.

Depois de 2 horas de voo de Durban até Cape Town desembarquei e fui direto conhecer Table Mountain National Park, o dia estava mais do que lindo estava maravilhoso, perfeito para subir na montanha e contemplar a vista que é tirar o fôlego. O guia falou que estamos com sorte, pois não enfrentamos fila para subir no teleférico (que por sinal é muito legal, pois vai subindo e girando 360 graus). Fiquei lá em cima por umas 2h para o tempo ao mesmo tempo em que passa rápido, congela, pois se perde a noção do tempo quando se olha para um espetáculo tão maravilhoso que é a natureza na sua grandeza, beleza e simplicidade. O parque é muito limpo, organizado e com uma ótima infraestrutura com uma ótima lanchonete.

Saindo do parque fomos direto almoçar em um restaurante (The Pot Luck Club) de tapas maravilhoso, que fica em Woodstock, uma nova região da cidade onde esta localizada toda a parte criativa, pois tem muitos ateliês de moda, artesanato, móveis além de lojas de design. A região é um charme e vale dar uma caminhada. O legal é fazer reserva tanto para o almoço quanto o jantar neste restaurante, pois é muito procurado.

Depois do almoço saímos para fazer uma city tour pela região das praias da cidade Camps Bay, Clifton, Sea Point etc. É difícil dizer qual a mais bela. O que sim posso afirmar é que a qualidade de vida das pessoas que vivem em de Cape Town é muito boa. Por onde se passa, há uma vista mais linda que a outra, sempre com as montanhas (Table Mountain, Doze Apóstolos, a do Leão etc) ao nosso redor.

No final da tarde cheguei ao famoso Waterfront, uma região portuária onde há shopping, bazar, restaurantes e hotéis, entre eles o Victoria Alfred (hotel com quartos amplos, ótimo café da manha e serviço) onde eu estava hospedada. A zona é muito legal, bonita, movimentada e bem turística.

Para jantar saímos caminhando pelo Waterfront (uma delicia caminhar por esta região) até hotel Cape Grace que foi o escolhido para jantarmos, além de ser um ótimo 5 estrelas elegante, tem todo um atendimento diferenciado para hospedes com crianças. Conta ainda com um restaurante muito gosto com uma comida deliciosa e um bar bem conhecido, pois tem mais de 400 tipos de whisky na sua carta de sugestões.

 

13/05 – Após um café da manhã delicioso saímos em direção à região dos vinhos de FRANSCHHOEK. O mais legal é que saímos em carros antigos para poder aproveitar a região e a suas fantásticas paisagens. Esta cidade é muito charmosa, parece mesmo que estamos num pedacinho da França.

Depois de passear pela rua principal fizemos uma degustação de vinho na vinícola Haute Cabriere. Onde também almoçamos. No melhor espírito sul africano. Quem nos recebeu foram os proprietários, esbanjando simpatia nos mostraram a arte do vinho. Após o almoço voltamos a Cape Town (1 hora de viagem) onde tínhamos a tarde livre para explorar o comércio no Waterfront.

Dentro deste complexo vale ressaltar dois lugares, Water Shed: espaço que reúne em um antigo galpão várias lojas e quiosques, contém todo o tipo de artesanato do país. Se encontram muitas coisas bonitas de qualidade e com preço acessível. Pertinho deste lugar fica o Food Market – Market Wharf um espaço para conhecer e comprar muitas comidas e temperos típicos sul africanos. Não preciso dizer que o cheiro e os sabores deste lugar são cheios de descobertas.

 

14/05 – Dia de fazer as malas e voltar para casa. Mas antes de pegar o voo conhecemos o hotel Cellars – Hohenort (hotel Relais Chateaux) que fica em uma região residencial de cape Town linda, arborizada e onde se localizava varias mansões e casas consulares, além de ser a 1º região de produção de vinhos de Cape Town e que até hoje mantém as suas vinícolas.  O hotel e lindo, charmoso e aconchegante. Ganhou no ano passado o prêmio de jardim mais bonito entre os hotéis. Um dos seus restaurantes o Greenhouse é considerado um dos melhores da África do Sul que tem o premiado chef Peter Temperhoff no comando. Vale muito a visita mesmo que você não esteja hospedado, lembre-se de fazer reserva.

Depois da visita e do almoço maravilhoso saímos direto para o aeroporto para pegar o voo para Johannesburg/São Paulo.

A viagem foi maravilhosa realmente a frase: A ÁFRICA ENTRA NA PELE, FICA UM VÍCIO é verdadeira pois é assim que me sinto.

ÁFRICA DO SUL, ZIMBABWE, ANGOLA, BOTSWANA, MOÇAMBIQUE, NANIBIA, TANZÂNIA, ANGOLA, MADAGASTAR... ATÉ BREVE

 

 

Fotos